Siga-nos nas Redes Sociais:

Vigilância Sanitária de Salgado ajuda comerciantes a se adequarem às normas e preserva saúde da população

Legenda da foto: Ana Fábia Bonfim, coordenadora da Vigilância Sanitária
Legenda da foto: Ana Fábia Bonfim, coordenadora da Vigilância Sanitária
Legenda da foto: Ana Fábia Bonfim, coordenadora da Vigilância Sanitária

A Vigilância Sanitária de Salgado atua como um órgão que orienta e ajuda a adequar o estabelecimento comercial às normas sanitárias estabelecidas pela Anvisa. No mês de janeiro, o órgão visitou 12 comércios em todo o município e graças a esse trabalho de fiscalização e de inspeção, a Vigilância ajuda a preservar a saúde da população.
Pois os fiscais observam se cada estabelecimento segue os protocolos sanitários. É obrigatório que um estabelecimento comercial disponibilize álcool em gel 70ºC, seus funcionários usem máscara e tenha banheiro para os trabalhadores e clientes equipado com sabonete líquido, lixeiro de pedal e papel toalha. Além disso, as condições dos alimentos e cuidado com o armazenamento deve ser redobrado. Por exemplo, a data de validade não pode estar vencida e eles devem ser conservados e manuseados adequadamente.
Nos depósitos não se deve misturar comida com produtos de limpeza e os frigoríficos devem armazenar os frios e os congelados em freezers e em câmaras com a temperatura ideal de conservação. Assim evita a propagação e contaminação dos alimentos por bactérias que causam danos graves à saúde das pessoas e podem até levar à morte. Há também as normas de segurança como a presença de extintor de incêndio em caso de emergências. Também é preciso realizar a dedetização do estabelecimento contra pragas e vetores.
“A Vigilância Sanitária está aqui para orientar os comerciantes e evitar que eles causem danos graves à saúde das pessoas e sofram uma punição mais severa do Estado. Sempre enfatizamos que se eles seguirem as normas sanitárias não terão problemas com os órgãos fiscalizadores. Além disso, essas regras não somos nós que inventamos, são normas da Anvisa que são passadas para o Governo do Estado e este passa para nós por meio de um treinamento que recebemos da Vigilância Sanitária Estadual”, explica a coordenadora da Vigilância Sanitária, Ana Fábia Bonfim.
Segundo a coordenadora, os órgãos estaduais exigem que cada estabelecimento tenha alvará de funcionamento emitido pelo setor de tributos, porém nos casos de Microempreendedor Individual (MEI) não paga a taxa estabelecida. Também é preciso ter alvará sanitário, cujo custo é zero, bem como o selo de dedetização e o CNPJ.
De acordo com Ana Fábia, as regras para o estabelecimento ficar em dia com a Anvisa não são difíceis de serem cumpridas e a Vigilância atua sempre levando em consideração a realidade local. “Nós sabemos que o fluxo de pessoas no comércio de Salgado não é o mesmo de outras cidades maiores. Por isso, a Vigilância Sanitária não vai notificar nenhum comerciante. Então peço aos comerciantes que recebam os fiscais de forma amistosa, pois nós vamos lá para ajudar.”, frisa Ana Fábia.

Scroll to top
Skip to content